Anatomia dos Cosméticos – Condicionadores

Antes de falarmos como funciona um condicionador, temos que saber sobre a estrutura elétrica do cabelo.

O nosso cabelo é formado por células, e as células por átomos que são compostos de prótons com carga elétrica positiva; aniôn com carga elétrica negativa  e nêutrons – que não tem carga elétrica – como o próprio nome diz, são nêutrons. Partículas com cargas elétricas iguais, afastam-se, e com cargas elétricas diferentes se atraem.

O cabelo é formado por uma proteína chamada queratina, e a queratina possui em sua composição uma elevada porcentagem de aminoácidos que possuem cargas negativas (-).

A próxima coisa que você precisa saber é que a maioria dos condicionadores de cabelo contêm moléculas carregadas positivamente chamado tensoativos catiônicos. Sabonete, shampoo e outros produtos de limpeza contêm tensoativos (também chamados detergentes) que são aniônico, isto é, carregado negativamente. Estes produtos de limpeza são muito eficazes na remoção de sujeira, mas também remover óleos naturais e cargas positivas do cabelo.

Os tensoativos carregados positivamente no condicionador de cabelo são atraídos para as cargas negativas em seu cabelo e não saem completamente com água. Quando o cabelo seca, ele fica revestido com uma película fina, que adiciona o peso, fazendo com que o cabelo mais fácil de desembaraçar e pentear, e impedindo que a eletricidade estática se acumule deixando o cabelo estático.

Cabelo estático e frizz são coisas diferentes: O fenômeno estático não é a mesma coisa que o frizz, o frizz acontece devido ao ressecamento excessivo dos fios, enquanto a estática ocorre pela elevado quantidade de carga negativa nos fios.

Acúmulo estático, por sinal, é o que acontece quando as cargas positivas estão em desequilíbrio no cabelo. Os motivos para os cabelos ficarem eletrizados são variados, desde o contato excessivo com televisores e computadores ao uso pentes e escovas de metal ou plástico. Porque as cargas negativas em seu cabelo estão repelindo-se!

Todos os tensioativos compreendem uma “parte oleosa” e uma “parte aquosa”. A parte aquosa – chamada de hidrófila – é o que se adere ao cabelo; Contém a carga positiva. A parte oleosa – chamada de hidrofóbica – é o que dá ao surfactante sua capacidade de condicionamento, pois se deposita no cabelo e lhe dá peso. Os tensoativos catiônicos utilizados em condicionadores vêm em vários tipos, e podem ser classificados pela natureza de seus hidrófobos.

Se o hidrofóbico tiver na estrutura de uma ácidos graxos insaturados, como gordura ou manteiga, o tensoativo terá uma consistência cerosa. Os hidrofóbicos oleosos, com uma estrutura como óleo vegetal líquido, dão ao tensioativo uma textura mais leve; eles podem até mesmo ser líquidos.

Tipos de agentes condicionantes

Para cada tipo de produto para condicionamento capilar, um agente condicionador é mais usado:

Máscara para tratamento intensivo: o agente condicionador utilizado deve estar aliado a um agente ceroso, por isso produtos dessa categoria possuem uma consistência mais pesada. Máscaras contêm altas porcentagens de tensoativos “gordurosos”, e são usados para hidratar e nutrir os cabelos ressecados. ​​As máscaras são deixados no cabelo por um período de tempo, para que os óleos e ácidos graxos possam se aderir as fibras capilares desidratadas.

Por exemplo: Behentrimonium Methosulfate, presente na máscara capilar Inoar Mask 

Leave-in: Os agentes condicionantes utilizados nessa categoria são mais leves, pois o produto não penetra profundamente na fibra capilar, como óleos vegetais e silicones quaternizados como amodimethicone. Como o Yenzah Sou + Cachos

Condicionadores tradicionais: são o equilíbrio entre a máscara e o leave-in, condicionando os fios na lavagem do dia-a-dia, o agente condicionador utilizado possui propriedades antiestáticas, emulsionantes e detergentes, desenvolvido para uso principalmente em formulações de condicionadores, máscaras capilares e cremes para pentear.  

O Cetrimonium Chloride também usado como conservante, e agente de emulsão e condicionante e anti-microbial. Ajuda a limpar suavemente pele e cabelo pois previne crescimento de micro-organismos e mistura óleos (sujeiras) com a água; assim, é um dos ingredientes bons para se ter em condicionadores para co-wash. Como o Condicionador Granado Sete Ervas Terrapeutics 

Finalmente, existem alguns ingredientes condicionantes que não são catiônicos. Estes não oferecem os melhores resultados, mas eles têm benefícios próprios. Alguns tensioativos aniónicos, sem carga carga elétrica, irão ficar no cabelo como . Ao contrário dos surfactantes catiónicos, eles podem ser misturados com surfactantes aniónicos para produzir champôs condicionadores. Outros ingredientes, como ésteres, óleos e polímeros, são adicionados para melhorar o brilho, adicionar penteabilidade e garantir que os ingredientes de condicionamento permanecem estejam estáveis nas formulações.

Christina Santos

Christina Santos, engenheira química, com mais de 15 anos de vivência na indústria química voltada para pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos. Desde criança sou apaixonada por maquiagens e cosméticos em geral, por isso leio e pesquiso muito para ter informações baseadas com embasamento científico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *