Como tratar a crosta láctea em bebês

É a forma infantil da dermatite seborreica. Quando ocorre, o seu início se dá aproximadamente uma semana após o nascimento, persistindo por alguns meses de vida.

Caracteriza-se pela presença de escamas gordurosas e aderentes na pele, geralmente no couro cabeludo, e por isso é chamada de “crosta láctea”. O quadro pode disseminar por todo o corpo, mas geralmente é limitado à área do couro cabeludo, com resolução total antes do primeiro ano de vida.

Apesar do nome, crosta láctea não tem nenhuma relação com intolerância a leite.

Apesar de não incomodar o bebê, deve ser tratada e monitorada porque pode dar origem a colonização por bactérias ou micoses.

O que é crosta láctea?

A crosta láctea é uma dermatite seborreica comum nos bebês caracterizada pelo aparecimento de pequenas escamas oleosas e amareladas mais ou menos dispersas pela pele (especialmente no couro cabeludo e, mais raramente, nas sobrancelhas e outras partes do corpo).

Por norma, esta forma de dermatite não incomoda o bebê nem coça ou causa desconforto. Contudo, se a zona afetada inflamar pode causar prurido e mal estar ao bebé.

Como aparece a crosta láctea?

Diferentemente do que muitos pensam o aparecimento da crosta láctea não está relacionado a falta de higiene, a causa é desconhecida, mas alguns dermatologistas acreditam que são transmitidos pela mãe, devido aos níveis elevados durante as últimas semanas da gestação, desencadeiam a produção excessiva de sebo. Este excesso não só estimula o desenvolvimento de células novas como também aglomera as células mortas, formando escamas e crostas.

A crosta láctea manifesta-se quando o óleo produzido pelas glândulas sebáceas seca e se transforma numa película gordurosa. Esta crosta obstrui os canais sebáceos que produzem ainda mais óleo na tentativa de desobstruir os canais, piorando o problema.

Cuidados e prevenção

Alguns cuidados simples podem ajudar a manter o bebé confortável e a reduzir a propagação da crosta láctea para outras áreas do corpo do bebé:

  • A crosta láctea aumenta em altas temperaturas, devido ao aumento da transpiração, por isso seque muito bem a pele do bebê, após o banho.
  • Evite colocar várias peças de roupa no bebê (por regra, aconselha-se vestir mais uma peça do que o adulto) e vista roupas que deixem a pele respirar.
  • As escamas NUNCA devem ser removidas com a unha pois aumenta o risco de infeção e o aparecimento de pequenas feridas resultantes da agressão da pele. Quando as crostas estão prontas para se desprenderem, não precisam de ser retiradas ou descoladas a mão.
  • Aplique um óleo emoliente (de origem vegetal como o óleo de amêndoas doces) cerca de 30 minutos antes do banho do bebê para a amolecer a crosta. Lave delicadamente as zonas afetadas para retirar o óleo.
  • Depois do banho, escove o cabelo com uma escova de pelos macios e seque suavemente a pele. Aplique um creme emoliente para proporcionar conforto e hidratar a pele.
  • Se a crosta láctea for resistentes, aplique óleo emoliente à noite e retire-o pela manhã no banho do bebé. Seque muito bem a pele e proteja-a com um creme emoliente.
  • Se a crosta láctea persistir e as zonas afetadas apresentarem sinais de infeção (vermelhão) consulte o pediatra para orientação sobre o tratamento mais adequado.
  • Quando experimentar um tratamento, espere pelo menos três dias para ver se produz efeito antes de tentar outro tratamento.

Tratamento medicamentoso

  • Se as lesões da pele não desaparecerem com os “cuidados caseiros”, o pediatra poderá aconselhar cremes que contenham hidrocortisona.
  • Nos casos graves ou muito persistentes de crosta láctea, o pediatra pode receitar shampoos especiais que ajudem a eliminar as placas escamosas.
  • Em raros casos, uma infeção fúngica poderá complicar a situação, o que dá à pele um aspeto vermelho-vivo e provoca coceira intenso. Neste caso, o pediatra poderá receitar um creme antifúngico.

Cosméticos para Tratamento

Cosméticos com ação queratolítica suave como ácido salicílico que descamam suavemente a pele, diminuindo a sedimentação da gordura, como o Shampoo Espuma Recém Nascido da Mustela, são indicados.

Aplicação de óleo vegetais como amêndoas doces, abacate e calêndula, ajudam a soltar suavemente a seborreia, após o banho aplique nas áreas afetadas cremes hidratantes como Creme Facial de Calêndula para Bebês Weleda.

Shampoos antifungicos só devem ser utilizados após a avaliação e recomendação do pediatra.

 

Christina Santos

Desde criança sou apaixonada por cosméticos, a brincadeira se tornou algo sério, minha carreira profissional sempre foi dedicada para pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos.
Todo ano aparecem novidades e novas aplicações e sempre busco descobrir algo novo para passar a informação de maneira descomplicada e de fácil compreensão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *