Review de produto: Philips Satinelle

Desde que começamos o projeto Cosmethica com a ideia de desvendar o que há por trás dos rótulos dos produtos que usamos, eu penso se cabe ou não contar como solucionei meu problema de inúmeras alergias na depilação.

Claro que ter a pele lisinha é tema para cá. Mas eu não foi num creme depilatório ou num tratamento cosmético que resolvi meu problema, foi num equipamento, um aparelho elétrico de depilação.

Ouvi falar dos depiladores elétricos lá na década de 1990, quando os produtos importados começaram a chegar em quantidade e qualidade (de preço) no mercado brasileiro. Mas eu ouvia recomendações sempre vindas de mulheres com um padrão de pelos bem diverso do meu: grossos, em quantidade e resistentes. E eu, como boa oriental, tenho pelos finos, em pouca quantidade e frágeis.

Trabalhando numa redação de revista em Tóquio, aprendi muito sobre minha etnia e por lá as reportagens e os especialistas eram enfáticos: quem tem pouco pelo, fino e frágil, deve adotar a lâmina.

Por anos achei que não tinha outro jeito. Fazia com cuidado, usava espuma de barbear (risos) e adotava os melhores aparelhos de barbear.

Mas não tinha jeito: vivia com alergias.

O motivo? Eu tenho alergias severas de metais!

Então imagina usar uma gilete na pele duas vezes por semana!

Também tentei várias vezes depilação com cera e, puxa, as alergias foram piores. Numa delas, eu tive que fazer tratamento com corticóides por 3 meses para melhorar!

Foi neste ponto, sobrevivendo com gilete e antialérgicos para não ficar uma mulher das cavernas, que num dia das mães eu ganhei o Satinelle. Isso mudou minha vida.

Daí o review de hoje.

🙂

Depois de quase uma década de uso, já posso recomendar o  depilador elétrico como uma alternativa prática.

Vejo algumas vantagens:

  • sem efeito barba: os pelos são arrancados e por isso crescem mais suaves, ou seja, não ficamos com aquela sensação e impressão estética de barba crescendo com pontinhos nas pernas;
  • não precisa esperar crescer muito: uma das coisas que me incomodaria na depilação com cera é “esperar os pelos crescerem”. Uso o depilador elétrico toda semana e nunca fico com pelos aparentes ou sensíveis ao toque;
  • o custo: parece aquela maquininha de cartão de crédito que faz propaganda dizendo que você não precisa pagar para sempre. Comprou, é sua. E dura, a minha nunca deu problema e lá se vão 8 anos de uso.

Mas, Sam, é dolorido, né?

Engraçado, eu achava que seria super dolorido. As primeiras pessoas que conheci e usavam reclamavam muito e eu fiquei impressionada. Mas desde a primeira vez achei muito (mesmo) mais suave do que o mal-estar da depilação com cera!

A gente vai ficando craque e usando em varias partes do corpo, da virilha ao buço.

A única recomendação que eu dou para as pessoas é comprar uma aparelho bivolt. Em viagens de trabalho já me fez muita falta ter isso no meu, tanto que estou de olho num novo modelo, o Prestige, que resolveria isso e também me traria a opção de massagem.

Porém, para que a depilação funcione perfeitamente, alguns cuidados devem ser tomados:

  • Caso a pele esteja com alguma irritação passível de contaminação, não use o depilador até curar a ferida, caso contrário ele poderá armazenar a bactéria ou fungo em suas pinças fazendo com que o problema volte;
  • Limpe a pele antes de se depilar para remover impurezas e excesso de oleosidade, principalmente se estiver suada ou com restos de hidratante. Minha experiência me mostra que precisamos secar bem a pele, pois a pele úmida “puxa”! Por essas e outras, eu prefiro usar, por exemplo, antes do banho de manhã, pois minha pele estará limpa de impurezas e ainda sem cremes;
  • Não use cremes antes de se depilar. Isso não apenas reduz a eficácia da depilação, como deixa resíduos do produto no aparelho (e como nossa cientista já explicou, umidade é foco para proliferação de fungos e bactérias);
  • O depilador elétrico deve ser mantido limpo. Depois de utilizá-lo, limpe sempre com a escovinha apropriada para remover os pelos das pinças. Remova a cabeça para limpar todos os cantinhos;
  • Evite guardar o depilador no banheiro, pois o ambiente é muito úmido e pode deteriorar a parte elétrica, reduzindo a vida útil do aparelho;
  • Caso seu depilador seja cheio de recursos (como capinhas para depilar áreas sensíveis e aparadores), limpe todas as peças de tempos em tempos, mesmo as que você não usa com frequência.

Super recomendo porque elimina os pelos pela raiz. O tratamento é completo, reduz mesmo os pelos com o tempo de uso (nunca vão sumir, né, gente, mas diminuem) e quando os pelos voltam (eles não crescem todos ao mesmo tempo, o que é curioso), eles vêm macios facilitando a manutenção da depilação.

Considero ideal para quem, como eu, tem rotina agitada e precisa de qualidade e praticidade.  

 

Veja também nossos textos sobre outros métodos depilatórios:

Depilação a laser:

Dossiê dos pelos encravados:

Sam Shiraishi

Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena.
Um breve resumo: jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *